sábado, 21 de maio de 2011

Dialéticas e novas parvoíces estéticas

Graças ao Senhor Morivaldo (professor aposentado de oitenta aninhos), que me deu sua credencial, pude assistir ao Zizek. Última palestra do Congresso de Jornalismo Cultural. Antes da palestra, eu e uma amiga fomos fumar e trombamos com o esloveno, minha amiga não se conteve e cumprimentou o cara, e tomou uma bela resposta sofística! Ela está parecendo um elfo no desenho...incrível a minha dificuldade de desenhar pessoas muito próximas, vai entender.

Seu tema era "O perigo das sombrias nuvens digitais" hum, pois é...fiquei pensando nas sombrias nuvens negras que deveriam estar em cima da cabeça dos tradutores simultâneos, e eu, consequentemente, só na pescaria. Ele tem uma fala muito caótica e mais rápida que cronista de futebol, terrível de acompanhar.
O cara é um filósofo com F maiúsculo, anti-veritas aeterna, transforma o seu repertório em analogias por meio de piadas e situações atuais rotineiras de uma maneira muito especial.
Óbvio que o evento daria umas duzentas charges, Paulo Caruso ficaria doido! Peguei uma para fazer...A história é a seguinte; Zizek contou que em Nova York tem uma ''clínica'' que faz o cara ficar com dois pênis, no mesmo processo que fazem, hoje em dia, com a língua para ficar semelhante à de uma cobra. Bom no caso do pênis não precisa explicar a utilidade da coisa.
Ele não sabe mas surgiu uma matéria recentemente de uma imbecil que queria (e vai!) colocar mais um seio, ou seja um ''triplo'' de seio...deveria ter passado essa belíssima informação para ele acrescentar em suas próximas palestras. Abaixo a minha clínica de vanguarda, novas espécies!


2 comentários:

Chris a.k.a. Silly Boy disse...

Isto me lembra o Johnny Pica Dupla.rs

K2. disse...

quauquauquauquauqua Nossa...será que no inglês o nome é o mesmo(''Johnny double dick''), daquele quadrinho?!